11 de mar de 2013

Curiosidades - Plataforma? O que é isso?



Você sabia que esses dois carros acima são praticamente gêmeos? Parece loucura o que estou falando, mas saiba que isso é mais comum que você pensa. Leia mais, para entender melhor o que falo.





A imagem acima representa bem o conceito de plataforma, que nada mais é do que o ''esqueleto'' do carro. Nesse ''esqueleto'', que vai por baixo da carroceria que vemos, é onde se encontram as peças e os componentes do carro. Para efeito de comparação, é como se fosse um corpo humano, onde por fora vemos a pele, e por dentro os órgãos.

No passado, o que se usava era um chassi por baixo da carroceria, como podemos ver na imagem abaixo.


Nela, podemos ver que o carro é separado em duas partes, a carroceria, e por baixo o chassi, que é uma estrutura metálica, onde estão os componentes do carro. Esse conceito era utilizado amplamente nos carros de passeio ate meados dos anos 80 e 90, e ainda hoje é usado em picapes grandes e veículos pesados como caminhões e ônibus, justamente porque oferece bastante resistência, e suporta bastante peso.

Mas nos carros de passeio isso foi abandonado, pois as montadoras foram vendo que era mais fácil fazer uma estrutura unica do que montar uma carroceria inteira sobre um chassi, alem disso, também era mais segura essa estrutura unica, pois o carro ficava mais leve, podendo assim se deformar mais facilmente numa colisão  aumentando as chances de sobreviver, já que em carros pesados, o impacto não é muito absorvido, fazendo com que a força do impacto seja muito maior.

Então surge o monobloco, nome dessa estrutura unica. Abaixo, um exemplo de monobloco


Podemos ver que, praticamente o carro esta montado, faltando apenas alguns detalhes, e a mecânica. Uma estrutura assim é muito mais segura do que a carroceria sobre o chassi, pois as partes estão integradas, formando um único conjunto, dai o nome monobloco, que literalmente, significa um único conjunto.

A partir dai, as montadoras perceberam que dava para simplificar o processo de produção, e baratear os custos, compartilhando as plataformas, que são as bases dessas carrocerias, com outros carros. Assim, não era preciso desenvolver toda uma base, toda uma mecânica para apenas um carro.



Nos casos mais clássicos  como na imagem acima, o compartilhamento é visível e claro, pois são carros derivados, o Voyage é o Gol na versão sedan. Mas tem casos em que é quase impossível dizer que ha esse compartilhamento, sem fazer uma analise mais especifica dos carros, como na primeira imagem que postei.

Golf e Audi TT tem a mesma plataforma, a PQ34, que ainda deu origem a outros carros, como New Beetle, Audi A3, VW Bora, entre vários outros. Esses carros compartilham a maior parte de suas peças, então  caso precise de um bico injetor do seu New Beetle, talvez possa utilizar o do Golf.

Então, muitas vezes o seu esportivo caro pode ser basicamente o ''mesmo''  carro popular que seu vizinho mais pobre tem, e vice-versa. Claro, que não são os mesmos carros, e mesmo compartilhando plataformas, eles podem ter muitas diferenças, mas mecanicamente, eles podem ser muito parecidos mesmo.

Existem realmente casos surpreendentes, como o luxuoso Alfa Romeo 155, que possui a mesma plataforma do Fiat Tempra. Outro caso é do Chevrolet Tigra, que compartilha a base com o popular Corsa de primeira geração.

Ha ainda modelos novos, que por baixo são velhos conhecidos, como o Celta, que na verdade não passa de um Corsa ''bolinha'' moderno por fora. O Agile também compartilha a plataforma do primeiro Corsa. E só para não ficar nos modelos da Chevrolet, o nosso Fiat Punto tem como base a Idea, que por sua vez deriva do velho Palio, que deriva do velho Uno, que ainda deriva do 147!!!

Claro que nesses casos de carros novos com base em carros velhos não é a mesma plataforma original, mas sim, uma versão adaptada, com melhoras, novas peças, mas que não chegam a ser versões totalmente novas.

Por isso, antes de tirar sarro do popular do vizinho, lembre-se que por baixo dos panos, seu carro pode ser igual ao dele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário